Número de pessoas

Quando se é criança ou jovem talvez falte a dimensão de como o mundo tem mudado nos últimos anos. São mudanças nos hábitos, nas famílias, nos trabalhos, no conhecimento, na cultura... Uma das mudanças mais aparentes no espaço é a mudança demográfica. A população mundial cresceu rapidamente durante o século XX e hoje atingimos o patamar de 7 bilhões de pessoas no mundo. Em 1950, éramos apenas 2,5 bilhões. Esse aumento não aconteceu de forma homogênea no espaço. Temos lugares classificados como “vazios demográficos” e “formigueiros humanos”, demostrando que ocupação não é regular. 

Entre os lugares que são capazes de concentrar a população, temos as cidades médias e as metrópoles. O modo de vida urbano é compactado, obrigando seus cidadãos a dividirem espaços cada vez mais compartilhados, pequenos e apertados. A população mora em condomínios que concentram muita gente, pegam transportes públicos cheios, enfrentam filas em bancos. Tem que gostar ou estar, pelo menos, conformado com o contato entre uns e outros. 

E por que uma cidade ou um país acaba concentrando mais gente que outros? São diversos fatores que podem justificar uma grande população. A cultura que valorize uma alta fertilidade e natalidade pode ser vista como um deles, assim como as condições socioeconômicas locais. O país mais populoso do mundo é a China, com seu 1,5 bilhão de pessoas. 

Você sabia que a população da China crescia tanto que o governo teve que por em prática uma lei que controlasse a natalidade? Os casais tinham uma dura restrição e só podiam ter ao máximo 1 filho, caso morassem nas cidades. Assim, o governo conseguiria reduzir o aumento populacional (continua aumentando, mas aumenta menos), e garantir um acesso maior da população aos direitos e serviços essenciais à sociedade. Resultado: a população reduziu a natalidade. Porém, em novembro de 2015, o governo chinês anunciou que iria cancelar a política do filho único, depois de 40 anos, porque a população está envelhecida demais e há uma atual desproporção entre homens e mulheres. Os tempos mudam, as políticas mudam.

Depois da China temos a Índia, Estados Unidos, Indonésia, Brasil, Paquistão, Bangladesh, Nigéria, Rússia e Japão como as 10 nações mais populosas, em ordem decrescente. Só esses 10 países juntos já correspondem por mais de 4,5 bilhões de pessoas, representando quase 65% do total mundial. 

Com isso, confirmamos que a população é altamente concentrada em alguns países, enquanto outros podem ser grandes vazios de habitação, embora nem sempre isso signifique um vazio econômico. Fiquem ligados nisso! Bjokas!

Maximiliana “Maxi” Esploro

Sempre adorei entender o porquê das coisas, especialmente quando se tratava de uma realidade social. Por que existem países mais pobres do que outros? Por que as pessoas preferem viver em cidades do que no campo? Por que é tão importante o crescimento do PIB? São perguntas que eu fiz quando tinha 12 anos e esse comportamento só foi se intensificando com o tempo. Costumo passar 8 horas por dia pesquisando dados na internet, para compreender melhor o mundo. Gosto de fazer pesquisas off-line também. Promovo questionários na vizinhança, e até no meu núcleo familiar, para gerar informações e conhecimento com elas. Curso Economia e pretendo utilizar esses conhecimentos para criar uma nova “sabedoria”, que utilize os milhões de dados disponíveis ou captados para melhorar a compreensão e as tomadas de decisão, e, assim, melhorar a qualidade de vida das pessoas. Chamo isso de Estatística e Conhecimento. Vou aproveitar esse espaço aqui, no Galera Cult, para compartilhar várias descobertas que fiz nas minhas pesquisas.