A evolução da divisão internacional do trabalho (DIT) e a consolidação das leis trabalhistas (CLT) no Brasil

Oi amiguinho, hoje vamos conversar sobre dois assuntos que tem tudo a ver com as disciplinas de geografia e história. Nossos temas de hoje são a divisão internacional trabalho (DIT) e a consolidação das leis trabalhistas (CLT). Inicialmente, para conversarmos sobre a DIT vamos pensar em uma característica muito comum no capitalismo atual: a divisão de tarefas. A produção industrial é marcada atualmente pela extrema separação das atividades e a especialização produtiva. Por exemplo, amontagem de um automóvel é realizada em São Paulo, porém com peças provenientes de diferentes países: a parte elétrica de Taiwan, as borrachas da Indonésia e assim por diante. Como isso é possível? Isso ocorre porque cada país oferece certos benefícios para determinada produção tornando o custo do produto menor, se especializando dessa forma em algumas atividades. É claro, que o exemplo que apresentamos é resultado de um longo processo da divisão do trabalho, que começou para muitos pesquisadores há muitos séculos atrás.

Podemos caracterizar a DIT como uma divisão produtiva no âmbito mundial, ou seja, uma divisão e especialização das atividades econômicas entre distintos países do mundo. Essa divisão começou a ser promovida a partir do colonialismo europeu nos séculos XV e XVI sobre os continentes da África, América e Ásia, quando os colonizadores determinaram que a economia das colônias serviria para complementar a economia das metrópoles. Nessa época, promoveu-se uma primeira DIT quando as colônias deveriam exportar matérias-primas, tais como produtos agrícolas, enquanto compravam produtos manufaturados e de maior valor comercial produzidos pela metrópole. O que garantia essa divisão desigual era a existência do pacto colonial, que simplesmente forçava as colônias ao papel de submissão econômica.

No século XIX, após a revolução industrial e a consolidação do capitalismo, a DIT se desenvolveu estabelecendo uma nova separação, agora entre os países desenvolvidos, ou seja, produtores industrias e países subdesenvolvidos, aqueles com economia agroexportadora. Contudo, após a segunda guerra mundial e a os avanços tecnológicos muitas empresas, sobretudo norte-americanas, começaram a instalar filiais em diferentes países do mundo. Isso foi intensificado através do processo da globalização, que transformou muitos países subdesenvolvidos, antes meros produtores primários, em exportadores também de produtos industrializados. Apesar da modificação apresentada na economia mundial nos últimos tempos, os países da América Latina, Ásia e África, ainda ocupam destaque na produção de produtos primários. Cabe destacar também que as empresas multinacionais que instalam fábricas nos países periféricos enviam grande parte dos lucros para o seu país de origem, mantendo assim as desigualdades econômicas e sociais no mundo.

Por outro lado, a consolidação da leis trabalhistas (CLT) está relacionada ao direitos que os trabalhadores com carteira assinada possuem no Brasil. Até basicamente o início do século XX os trabalhadores urbanos não tinham direitos básicos, tal como jornada máxima de trabalho, férias, aposentadoria, salário mínimo. Após uma série de reivindicações os direitos trabalhistas foram organizados e concedidos durante a chamada Era Vargas. Durante o governo de Getúlio Vargas foi criado o Ministério do Trabalho, a carteira assinada e todos os outros benefícios trabalhistas que foram agrupados na chamada CLT, assinada em 1 de maio de 1943. Entretanto, não pense você que Vargas foi apenas bonzinho com os trabalhadores. Para receber esses benefícios o trabalhador não poderia fazer greves nem manifestações, e deveria filiar-se a um sindicato controlado pelo governo. Apesar de algumas críticas, não podemos negar a importância da CLT para garantir a estabilidade e a segurança do emprego do trabalhador. Entretanto, nos últimos anos devido as novas conjunturas do capitalismo mundial muitos empregadores não oferecem mais vagas de trabalho com carteira assinada, contribuindo para aumentar os empregos informais no país. Amigo, agora você já sabe o significado da DIT e da CLT. Um grande abraço a até o próximo post!

Titta Resor “Titta”

Filha única de historiadores e educadores, tive meus pais sempre muito presentes na minha vida. Por isso, nunca tive dúvida de que seguiria seus passos. Eles sempre contavam inúmeras histórias para ilustrar o que queriam ensinar. Percebia que meus amigos não tinham a mesma oportunidade. Eles sempre reclamavam da ausência dos pais e percebia que isso afetava o comportamento deles. Assim, resolvi mergulhar em um grande projeto: como usar a História para levantar questionamentos e ensinar “boas” atitudes para as pessoas? Resolvi usar o bom exemplo dado pelos meus pais para responder essa pergunta. Minha missão aqui, no Galera Cult, será educar através de histórias, mais precisamente contando um pouco sobre a vida de grandes personagens da História. É o que eu chamo de usar História e Biografias para educar.