Comprar ou alugar?

Olá, galerinha mais nerdlinda deste mundão! Suave na Nave? Então... meu pai estava aqui conversando com a minha mãe sobre a possibilidade de comprar um apartamento. Cara, na boa, não consegui ficar quieta e logo falei para eles alguns insights da mais linda rainha Matemática para convencê-los de pensar mais um pouquinho a respeito... Tenho muita responsabilidade, pois ninguém sabe tanto Matemática quanto eu na minha casa... rsrsrs... E essa linda disciplina é essencial para tomarmos certas decisões, como essa: comprar ou alugar um apartamento?

Antes dos fatos, uma observação importantíssima. Há vários elementos envolvidos nessa escolha e alguns deles não envolvem cálculos (Matemática, não é tudo, infelizmente, como, por exemplo, a satisfação e senso de segurança de ter a própria casa. Não há conta para calcular satisfação pessoal, ok? E ela é muito importante. Nosso papo aqui vai ser só sobre a “parte fria” da coisa, isto é, números e números, o que vale e não vale financeiramente falando.

Vambora?

Esse papo é tão complexo que irei dividi-lo em algumas partes. Por isso, o título é “parte 01”. Nesse primeiro papo, vamos falar somente das variáveis. Opa! Desculpe minha linguagem matematizada... rsrsrs... As variáveis são os elementos que devemos conhecer e iremos considerar para fazer as contas.

De um lado, temos o comprar. Para comprar é preciso ter o dinheiro (sempre a melhor opção, é claro) ou pegar emprestado. Como os imóveis são caros, é raro as pessoas terem tanto dinheiro guardado. Então, elas financiam, isto é, pegam o dinheiro emprestado com os bancos e pagam prestações, que significa pagar o empréstimo aos poucos. Para calcular uma prestação, é preciso saber o valor a ser financiado (valor do empréstimo) e os juros (o valor percentual que o banco te cobra para te emprestar o dinheiro). Obviamente, os juros fazem aumentar o montante, que é o valor total a ser pago e você acaba pagando muito mais por causa disso. Resumindo, a parte boa: imóvel próprio que pode valorizar. Parte ruim: costuma-se pagar muitos juros e o montante pode ser muitas vezes o valor inicial, isto é, em vez de um você paga dois, três ou mais vezes o valor do imóvel.

Do outro lado, temos o alugar. Muito mais simples... Paga e usa. Não é seu. Cumpri o contrato e se quiser trocar de imóvel pode. Não precisa pegar dinheiro emprestado nem pagar juros altíssimos. Mas também não tem propriedade sobre o imóvel. Se valorizar, você não ganha, só perde, pois o aluguel tende a encarecer. Ah! Então, comprar é muito melhor? Nem sempre. Pois você deve entender que gasta menos mensalmente com o aluguel, por não ter juros. Logo, você pode aplicar essa “sobra” e multiplicar seu capital. Para comparar perfeitamente, é preciso conhecer o valor do aluguel e o rendimento do dinheiro que “sobra”.

Já deu para ter uma ideia, não? No próximo papo, vamos para a prática. Vou apresentar para você os números comuns de mercado de juros, alugueis e rendimentos. Vem pro meu mundo!!!

 

#matematicasualinda #vempromeumundo #compraroualugar

Tamires Damaceno “Matmad”

Para mim tudo é Matemática. Não escondo de ninguém, tenho até orgulho de dizer: sou uma racionalista. Sou tão fã da ciência que me apresento como Matmad, em referência à disciplina, e uma espécie de anagrama das primeiras letras do meu nome e sobrenome. Busco lógica em todas as situações e para todas as tomadas de decisão, além de adorar fazer contas e estimativas para tudo. Aos 22 anos, já me graduei em Matemática e faço cursos no IMPA. Por isso, tem algo que me enlouquece. Como muitas pessoas têm aversão à Matemática?!?! Como?!?! Pensando nisso, aceitei entrar para o Galera Cult. Meu projeto aqui é promover a Matemática como saber cotidiano e interdisciplinar, reverter o medo e o ódio que muitos sentem pela disciplina e conquistar mais adeptos da minha “religião” kkkkk